Uncategorized

Balanço da Série C: mesmo com problemas, Bela Vista se supera e faz campanha de recuperação

EQUIPE RUBRA É A SEGUNDA A SER ANALISA PELO SITE FUTEBOL GONÇALENSE
Dando continuidade a análise das campanhas das equipes gonçalenses na Série C do Campeonato Carioca, o site Futebol Gonçalense trás todos os detalhes sobre a caminhada do Bela Vista nessa temporada de 2012. Confira os prós e contras, os jogos e os destaques de mais esta temporada do Bela Vista.
Bela Vista alcançou o 9º lugar na classificação geral, superando o 22º posto em 2011
CAMPANHA
14 jogos – 4 vitórias – 2 empates – 8 derrotas – 16 gols pró – 18 gols contra – AP: 33,33%
Em mais um ano no campeonato da Série C do Rio de Janeiro, o Bela Vista manteve-se como um dos representantes da cidade de São Gonçalo (a equipe é originalmente de Niterói), só que desta vez, com a cia dos principiantes São Gonçalo EC e São Gonçalo FC. Sem o mesmo apelo massivo criado em cima das equipes conterrâneas, o vermelho e branco de Nova Cidade fez uma campanha que começou ruim, evoluiu, terminando com uma impressão de que poderia ter sido melhor.
Bela Vista e Arraial do Cabo se enfrentaram no Aloísio Rodrigues, 3×3.
Na primeira fase, as dificuldades assolaram a equipe, que não conseguia se encontrar. Vitória, só por W.O., no confronto diante do São Gonçalo FC, fora de casa. Favorecido pelo regulamento, a equipe se classificou  na quarta e última vaga do Grupo C. Das dezesseis classificadas à segunda fase, foi a que menos obteve pontos (5), ficando com a 14ª colocação pelo índice técnico.
Veio a segunda etapa, e o time de São Gonçalo parecia presa fácil num grupo que contava com Paduano, Mangaratibense e Tanguá. Mas não foi o que aconteceu. Com mudanças no elenco, o clube ganhou em qualidade, conseguindo três vitórias e ficando a apenas dois pontos do Mangaratibense, classificado em segundo lugar com 11 pontos.
Os jogos fora de casa foram o ponto fraco da equipe, que sucumbiu diante de seus adversários, deixando a vaga escapar nos confrontos diretos
OS ACERTOS
  • Após a fraca campanha na primeira fase, a comissão técnica lançou alguns novos jogadores que elevaram o nível técnico da equipe na segunda parte da competição.
  • Entrega. Mesmo diante das dificuldades, era normal ver os jogadores acreditando no trabalho realizado.
  • A equipe possuía pelo menos um bom jogador em cada setor do campo.
OS ERROS
  • Algumas falhas no planejamento ocasionaram a troca constante de jogadores, impedindo o entrosamento entre os atletas.
  • Quedas em momentos decisivos. Quando testado em jogos de maior dificuldade, o time não conseguiu emplacar bons resultados.
  • Derrotas em casa. Não conseguiu utilizar seu estádio como fator decisivo em sua campanha.
DESTAQUES
R.Carioca em ação pelo Bela Vista. Jogador foi o grande destaque da equipe
Rafael (goleiro) – Arqueiro de boa estatura e seguro nas saídas de bola, passava segurança a seus defensores. Sempre ligado no jogo, se destacou pela liderança, sempre orientando e chamando a atenção de seus companheiros de time.
Alê (meio de campo) – Jogador mais experiente do elenco, com 35 anos, fez o papel de ligação entre meio de campo e ataque sempre com muita inteligência e visão de jogo. Usou da maior rodagem no futebol para orientar os jogadores mais jovens.
Raphael Carioca (atacante) – Sem sombra de dúvidas, o maior destaque da equipe na Série C. Atacante de boa movimentação e com passagens por alguns clubes do Brasil, fez quatro gols na competição. Atacante moderno, faz bem tanto o lado de campo, como a função de pivô dentro da área.
O MELHOR JOGO
Após estrear perdendo na terceira fase para o Paduano, muitos apontariam o Bela Vista como o saco de pancadas do Grupo G. Veio a segunda rodada, e o adversário era o Tanguá, que já havia derrotado os belavistenses em duas oportunidades na primeira fase (1×0 e 3×2), mas o que se viu foi uma equipe com uma postura diferente, que alcançou a vitória em bela atuação da dupla Alê / Raphael Carioca, autores dos gols da equipe. O triunfo teve um sabor ainda mais especial, em virtude de ser as vésperas do 35º aniversário do clube metropolitano.
O PIOR JOGO
Não foi exatamente a pior atuação da equipe em campo, mas foi com certeza a mais dolorosa e mais impactante na eliminação da equipe. Jogando em casa, a equipe recebeu o Paduano em confronto direto na luta pela classificação. Após saír perdendo, a equipe gonçalense foi buscar o empate e quando dominava o jogo, voltou a ficar atrás com um gol contra de Gésio. Com muita garra, o time voltou a igualar o placar, mas foi novamente superado logo no início do segundo tempo, perdendo por 3×2. O resultado decretou a eliminação da equipe rubra com uma rodada de antecedência na terceira fase.
Bela Vista e São Gonçalo EC se encontraram duas vezes na competição
CONCLUSÃO
Se os resultados não foram os esperados, o Bela Vista fez algo de imprescindível importância para um clube da terceira divisão: a continuidade. Em mais um ano como profissional, mesmo diante de todas as dificuldades como a falta de investimento, a equipe fez uma campanha honrosa e que poderia ter ido a diante. É certo que, com um planejamento mais detalhado e bem pautado, o Bela Vista pode retornar com mais força em 2013, quem sabe alcançando uma das vagas a Série B Carioca.
RELEMBRE TAMBÉM:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s