Carioca Série C Gonçalense

Em 2014, Gonçalense estreava no futebol profissional com título da Terceirona

Poucos clubes no mundo podem se gabar de levantar uma taça logo no ano de estreia em uma competição profissional. O Gonçalense tem esse privilégio. Em 2014, na primeira vez em que disputou a Série C do Campeonato Carioca, o Tricolor do Jardim Catarina conquistou o título. E, ainda por cima, batendo o rival São Gonçalo FC.

19252475526_8673d7732b_o
Sabão: o grande nome do Gonçalense na conquista da Série C Estadual de 2014. Foto: André Fabiano.

O Gonçalense surgiu justamente após seu presidente e fundador, Joacir Thomaz, deixar o São Gonçalo FC, em 2013, onde chegou a ser mandatário. Numa rápida negociação, adquiriu os registros do Tanguá, na Federação de Futebol do Rio de Janeiro (FERJ) e confirmou participação na Série C de 2014.

Dentro de campo, a empreitada se mostrou bem-sucedida já nos primeiros jogos. Sob o comando do técnico Emanoel Sacramento, o Lense foi empilhando bons resultados na primeira fase e superou, sem maiores dificuldades, o Grupo B, que ainda contava com Duque Caxiense, Serrano, União de Marechal Hermes e Rubro. Destaque para as goleadas sobre União e Rubro, ambas por 5 a 0.

Sequência turbulenta, mas com reação rumo ao título

A segunda fase da Série C prometia maiores dificuldades. E assim foi. O Gonçalense passou as três primeiras rodadas sem vencer: empate com São Cristóvão (0 a 0) e derrotas para São Gonçalo FC (2 a 0) e Itaboraí (1 a 0).

Os maus resultados causaram certo estrago. Buscando retomar o rumo, a direção dispensou cinco jogadores, inclusive o artilheiro da equipe até então, o atacante Vitor Borges. A medida parece ter surtido efeito. Dali em diante, o Gonçalense não perderia novamente na Terceirona.

Nos oito jogos restantes da fase decisiva, o Gonçalense venceu sete e empatou um. Com isso, sacramentou a liderança do Grupo F. A ponta da tabela valeu o acesso, que foi comemorado após a vitória sobre a Esprof, por 3 a 0, na Rua Bariri. O Tricolor também carimbou o passaporte à final para encarar o rival São Gonçalo FC.

Revanche, taça e festa

A decisão da Série C de 2014 colocaria frente a frente os rivais da cidade de São Gonçalo. Ambos já tinham o acesso garantido, mas a rusga entre as diretorias deu um tempero ainda maior aos dois confrontos. Na ida, no Estádio Lourival Gomes de Almeida, em Saquarema, o Gonçalense atuou como visitante e venceu por 2 a 1. O duelo ficou marcada por um gol antológico do meia Bernardo.

19282582071_881d969f8a_o
Gonçalense Futebol Clube: campeão da Série C do Campeonato Carioca de 2014. Foto: André Fabiano.

Na partida da volta, o Lense utilizou o Giulite Coutinho, em Mesquita, como palco para levantar a taça. Antes disso, segurou um empate sem gols diante do rival, com grande atuação do goleiro Julio. Ao final dos 90 minutos, a festa se confirmou. Logo na primeira tentativa, o Tricolor faturou acesso e taça na Série C do Rio.

O craque – Artilheiro, principal referência técnica e grande nome da conquista, o atacante Sabão só faltou fazer chover na edição de 2014 da Série C. Fechou a competição com 11 bolas na rede e inúmeras atuações decisivas.

O comandante – Emanoel Sacramento, acostumado a dirigir clubes de maior expressão no cenário do Rio de Janeiro, topou o desafio de encarar a Série C no ano de estreia do Gonçalense. Soube utilizar o bom investimento que teve em mãos, deu padrão tático praticamente impecável ao time e ainda soube se reinventar após uma sequência de resultados decepcionantes.

O paredão – Julio foi um goleiro com o qual o Gonçalense pôde contar nos principais momentos da Série C. A fantástica atuação na final, contra o São Gonçalo FC, foi a coroação do arqueiro, que comandou uma defesa que sofreu apenas 10 gols em 21 partidas.

A campanha: 21 jogos | 14 vitórias | 5 empates | 2 derrotas | 42 gols pró | 10 gols contra

Primeira Fase
5×0 União de Marechal – José Alves Ventura
1×1 Duque Caxiense – Telê Santana
5×0 Rubro – José Alves Ventura
2×0 Serrano – Atilio Marotti
3×0 União de Marechal – Louzadão
4×0 Duque Caxiense – Telê Santana
2×1 Rubro – Lourival Gomes de Almeida
2×2 Serrano – José Alves Ventura

Segunda Fase
0x0 São Cristóvão – José Alves Ventura
0x2 São Gonçalo FC – Carlos Gonçalves
0x1 Itaboraí – José Alves Ventura
1×0 São Pedro – Waldemar Tadio
2×0 Arraial do Cabo – Rua Bariri
2×1 Serrano – Atilio Marotti
0x0 Santa Cruz – Rua Bariri
4×1 Artsul – Nivaldo Pereira
2×0 Duque Caxiense – Rua Bariri
3×1 Barcelona – Eustáquio Marques
3×0 Esprof – Rua Bariri

Final
2×1 São Gonçalo FC – Lourival Gomes de Almeida
0x0 São Gonçalo FC – Giulite Coutinho