Gonçalense Maricá São Gonçalo

Clubes “torcem nariz” para Série B1, mas tentam união em bloco por melhorias

IMG_0424
Série B1 do Carioca está definida para 15 de agosto. Clubes vivem cenário de incertezas. Foto: Igor Cruz.

Não é só o Gonçalense que é contra a realização da Série B1 do Carioca em 2020. Dos 17 clubes confirmados na tabela, a maioria não é simpática à ideia de disputar a competição neste ano, em meio à crise do novo coronavírus. Ninguém cogita ir contra à Federação de Futebol do Rio (FERJ), mas uma união em bloco busca por melhorias que amenizem os efeitos da pandemia.

Dentro da pauta estão os seguintes pontos:

  • Isenção da taxa de inscrição de atletas
  • Ampliação do número de atletas amadores permitidos para 10 no total
  • Não obrigatoriedade da participação na categoria de juniores
  • Auxílio na realização de testes para detectar o covid-19
  • Realização de jogos nos Centros de Treinamentos
  • Transmissão dos jogos via internet

As primeiras reuniões virtuais de Conselho Arbitral não definiram todas essas questões, mas algumas já parecem bem encaminhadas, como a ampliação no número de amadores, a não obrigatoriedade do sub-20 e a realização dos jogos em Centros de Treinamentos ou estádios que não vinham sendo liberados para público nos últimos anos.

A principal dúvida paira no que diz respeito aos testes de covid-19. O custo para aplicação dos mesmos se mostra algo praticamente inalcançável para os clubes. Sem o custeio da Federação, há consenso de que não é possível manter a segurança dos atletas no dia a dia de treinamentos e jogos.

Internet como alternativa aos portões fechados

É praticamente certo que a Série B1 seja totalmente realizada com portões fechados. Sendo assim, os clubes têm atuado em conjunto na busca por formas de transmissão, seja via redes sociais ou através de alguma plataforma contratada.

Já acontecem até mesmo sondagens junto à empresas de streaming responsáveis por transmissões de eventos esportivos como campeonatos de futebol e vôlei pelo país. Tal medida é vista como algo essencial para reduzir a distância junto ao torcedor, que não poderá estar presente nas praças esportivas.

Competição caminha para setembro

Apesar da tabela apontar 15 de agosto como a data de abertura, não há otimismo para o cumprimento do prazo. Nenhum dos clubes iniciou a pré-temporada. Há até mesmo a recomendação, por parte da FERJ, para que se aguarde o pontapé inicial dos treinamentos. A grande maioria sequer aprofundou o planejamento, já que o cenário de incertezas ainda é grande.

O mais provável é que a Série B1 tenha bola rolando em setembro. Isso se a pandemia realmente demonstrar sinais de queda no Rio de Janeiro, um dos estados mais afetados no país. No atual cenário, grande parte dos clubes acredita ser inviável retomar as atividades com plena segurança.