Bela Vista São Gonçalo

Chay se torna referência técnica na Portuguesa e aproveita vitrine do Cariocão

O Campeonato Carioca de 2020 significou a consolidação na carreira de Chay na elite do Rio de Janeiro. O alagoano radicado em Niterói defendeu a Portuguesa na competição e foi a principal referência técnica da equipe insulana. O meia-atacante totalizou 15 jogos e quatro gols marcados entre Seletiva e fase principal.

Fluminense x Portuguesa - RJ - 23/01/2020
Chay em ação contra o Fluminense, no Maracanã, antes da pausa no Estadual. Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC.

Antes de chegar na Lusa, Chay vinha de um crescimento gradual com passagens de destaque por Bela Vista (RJ), São Gonçalo EC (RJ), Mogi Mirim (SP), Rio Branco (AC) e America (RJ). A valorização indica um futuro ainda mais interessante para o atleta de 29 anos.

– Saldo bem positivo. Fomos traçando metas desde o início, quando estávamos na Seletiva. Passamos bem, invictos e depois a traçamos a meta de livrar do rebaixamento. Conseguimos com algumas rodadas de antecedência. Infelizmente empatamos com o Botafogo na última partida e ficamos de fora (da semifinal de turno). Foi um jogo de igual para igual. Pode-se dizer que faltou sorte, mas no saímos bem – explica Chay, que destaca o bom entendimento que obteve com o técnico Rogério Corrêa.

– Realizei um trabalho forte, me dedicando, estando atento ao que o treinador dizia. Tem muito disso. Encaixou meu modo de jogar com aquilo que o Rogério queria. Ele me deixou bem à vontade. Quando me procurou, disse que eu seria peça importante porque ele queria o estilo de jogo que eu tenho. Me dediquei e deu certo. Foi uma bela campanha e estou feliz com o que foi produzido.

Chay possui contrato com a Portuguesa até 2022. A equipe da Ilha do Governador, por sinal, tem a disputa da Série D do Brasileiro pela frente. Entretanto, as especulações sobre o futuro do jogador apontam um destino diferente na sequência do ano.

O CRÉDITO DA FOTO É OBRIGATÓRIO: Vítor Silva/Botafogo
Diante do Botafogo, na retomada no Cariocão, mais uma boa atuação do meia-atacante. Foto: Vitor Silva/Botafogo.

– Eu tenho contrato com a Portuguesa até 2022, mas a vitrine foi boa, me destaquei e surgiram algumas possibilidades. Não depende só de mim. Depende do clube, se vai emprestar ou se vai ter alguma equipe com possibilidade de compra. Até agora são boatos, especulações – esclarece o meia-atacante, que ainda espera viver o auge da carreira.

– Acho que sempre pode melhorar. Foi um bom campeonato, foi uma campanha bonita, mas não sei se é meu auge ainda. Posso chegar a mais do que isso. É manter a pegada e trabalhar forte.

No Leste Fluminense, boas passagens por Bela Vista e São Gonçalo EC

Antes de se destacar por America e Portuguesa, Chay viveu outras experiências no Rio de Janeiro. Perto de casa, vestiu a camisa do niteroiense Bela Vista (2017, com seis jogos e quatro gols) e do São Gonçalo EC (2018, com 23 jogos e oito gols).

– Foi bastante importante para minha carreira. Foi uma transição do fut7, embora já tivesse jogado campo anteriormente. Voltei em 2017, no Bela Vista, mas foi muito rápido. Estava vindo da Malásia. Joguei o segundo turno (da Série B2) e foi bacana.

– Nessa transição também teve o São Gonçalo. Foi onde as coisas voltaram a andar no futebol de campo. Fui bem recebido e tive o carinho de todos. Fui bem e consegui dar um passo à frente na sequência.

41213571260_6a5dfb12ea_o
No Leste Fluminense, Chay teve passagem de sucesso pelo São Gonçalo EC em 2018. Foto: Jhonathan Jeferson.