Outras Notícias

Vasco, America e Portuguesa: a sólida trajetória de Muniz no futebol

Vestir a camisa de um clube e atingir marca expressiva de jogos é algo cada vez mais raro na carreira de um jogador de futebol. Muniz, de 31 anos, conseguiu contrariar esse cenário. O volante, natural do Jardim Catarina, em São Gonçalo, possui trajetórias sólidas no Rio de Janeiro com as camisas de Vasco, America e Portuguesa.

WhatsApp Image 2020-07-30 at 16.09.58 (1)
Muniz em ação pela Portuguesa no Campeonato Carioca de 2020. Foto: Nathan Diniz/Portuguesa.

No Cruzmaltino fez praticamente toda a categoria de base, permanecendo até o sub-20. No Mecão, foram cerca de 80 jogos. Já na Lusa da Ilha do Governador, seu atual clube, Muniz se aproxima das 150 atuações.

– A passagem no America foi muito importante. Primeiro pela tradição que o clube tem. Cresci muito e as portas se abriram depois da minha passagem lá. Sou grato por ter jogado no America. Tenho carinho imenso e até hoje muito torcedores me ligam. Criamos um vínculo muito bom – relembra Muniz, que depois do time rubro foi para a segunda passagem na Portuguesa, onde está desde 2017.

– Já tinha passado pela Portuguesa antes de atuar no America. Voltei a convite do Marcelo Barros (presidente lusitano). Tinha outras situações, mas optei pelo clube que já conhecia. E estou até hoje tendo uma sequência boa, com bons jogos, batendo as metas que o clube sempre coloca nas competições.

Campanha positiva no Carioca e Série D em mente

Muniz esteve campo por 14 vezes na boa campanha da Portuguesa no Campeonato Carioca. O time da Ilha do Governador foi campeão da Seletiva e cumpriu trajetória positiva na fase principal, batendo na trave ao quase alcançar uma vaga nas semifinais da Taça Rio.

48253307871_3f10e57824_o
Muniz com a faixa de capitão da Portuguesa em 2019. Volante caminha para 150 jogos pela Lusa. Foto: Caio Almeida.

– A gente sabe que a Seletiva é muito difícil. Conseguimos passar bem com uma rodada de antecedência e nos mantivemos no Estadual. Fica um pouco a frustração de não ter chegado na semifinal, pelo time que temos, pelo trabalho que foi feito. Não conseguimos, então agora é focar na Série D do Brasileiro.

– O clube luta há alguns anos por essa vaga e espero que esse ano a gente consiga. A confiança continua a mesma. O trabalho do Rogério (Corrêa, treinador) tem sido feito com excelência. Os resultados estão aí. Nossa equipe tem apresentado boas partidas. Esperamos conseguir manter esse nível, evoluindo em algumas coisas. Fizemos bons jogos contra os grandes. Se repetirmos isso na Série D, tenho certeza que vamos brigar pelo acesso.

A Portuguesa de Muniz estreia na Série D do Brasileiro em setembro. A equipe carioca está no Grupo A-7. O primeiro desafio será contra o Toledo (PR), fora de casa.